Artista de rua recria IZA como sinhá de engenho
31/05/18

Com o intuito de causar reflexão, Alberto Pereira cria quadros com artistas negros em lugar de destaque. Sempre trazendo imagens com personagens do século passado, ele brinca ao colocar estes artistas em lugares em que somente brancos ocuparam até então. A ideia, segundo ele, é de causar o choque inicial com o intuito de causar a reflexão.

Alberto é artista de rua nascido no Rio de Janeiro. Ele afirma que muitos quadros artísticos da história do Brasil e do mundo não retratam pessoas negras, e quando fazem é sempre colocando estas pessoas em posição de escravidão. A ideia é dar novos significados a história, trocar os papéis e causar o desconforto inicial que é sempre o impulso para o pensamento crítico.

 

Linn da Quebrada.

Lázaro Ramos.

Tássia Reis.

Jojo Todynho.

Alberto já participou de diversas exposições de artes não apenas no Brasil, mas no mundo, La Première Expo de GIF (Paris, 2016), Art Rua (Rio, 2016), Cheap Street Art Festival (Bologna, 2017). Sua linguagem é a periferia e o desejo de mudar o cenário atual que temos com relação as desigualdades que existem.

“Ainda vivemos em uma sociedade desigual, racista, exploratória e ignorante, mas mesmo com tanto a reparar e instruir, vivemos o sonho dos nossos ancestrais. E construiremos os próximos sonhos. É a nossa vez de lutar pelas próximas gerações. A luta diária é sobre ser visto e não revistado.” Diz o artista.

Além dos artistas mostrados aqui, ele também desenhou a IZA colocando-a em posição de sinhá. Confira a obra abaixo:

IZA.

Para ler mais sobre a história do artista, leia a matéria completa sobre ele feita pelo Jornal do Brasil clicando aqui. E para conhecer mais peças e outras artes criadas por Alberto, dá uma olhada no Instagram dele clicando aqui, as peças são super legais e vale a pena seguir.


Comentários
"