Categoria: Entrevista

21/05/20

Se eu te pedir pra pensar em um single da IZA que tenha um clipe ruim ou imemorável você provavelmente não vai conseguir responder nenhum. Isso acontece pois todos os trabalhos dela até então têm sido extremamente bem pensados, desde a direção de arte e criação de um conceito, até a estratégia de divulgação que acontece nas redes sociais, rádio, TV… Todo esse processo acontece não apenas por causa da IZA, mas também por causa de uma equipe enorme, competente e extremamente talentosa que atua por trás dela.

View this post on Instagram

#betheone @betheone_to @thehumanitylab

A post shared by IZA (@iza) on

O clipe de Let Me Be The One já está disponível e traz à tona um debate extremamente importante: como vivem milhões de pessoas refugiadas, o objetivo é promover a diversidade e os direitos humanos com a campanha #BeTheOne, lançada pela ONU em parceria com a Humanity Lab, com a qual a música está inserida. No clipe, existem participações de refugiados da Síria, da Venezuela, da República Democrática do Congo, além de indígenas, representantes LGBTQIA+ e etc. Para conhecer um pouco dos refugiados que estão no clipe, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) fez um post específico sobre isso que você pode ler aqui.

A delicadeza da música e do clipe fica nítida enquanto assistimos e isso acontece pelo trabalho em conjunto feito com diversos profissionais de diferentes áreas. O clipe é dirigido pelo Felipe Sassi, que já trabalha com a IZA em quase todos os seus trabalhos, e junto com ele vem toda a equipe que já atua com a IZA nessa caminhada. Bianca Jahara (Stylist) e Mary Saavedra (Beauty Stylist) são exemplos dessa equipe e tiveram um papel fundamental nos bastidores de Let Me Be The One. Perguntamos para Mary Saavedra como ela busca referências para entregar a beleza da IZA, de acordo com a estética do clipe. Como acontece a escolha de maquiagem e cabelo que entram para um clipe da IZA.

IL: O clipe de Let Me Be The One tem todo um conceito, uma mensagem a ser passada, como buscou referências para entregar a beleza da IZA, de acordo com a estética do clipe?

Mary Saavedra: “Primero escuto a música, o ritmo para entender a mensagem. Depois vou olhando algumas ideias e referências, como no Pinterest e Instagram, referências de outras mulheres negras e cantoras internacionais. Mas também gosto de olhar referências de estilo e até paisagens, já que pode surgir alguma ideia a partir disso. Depois dessa pesquisa, aí então converso com a IZA e vamos fazendo as escolhas finais. Sempre deixamos uma margem, caso no dia acabe não funcionando com um look ou não dê tempo suficiente. Então, por exemplo, se precisamos de 5 penteados, escolhemos 6.”

IL: Muitos fãs da IZA são também seus fãs e sempre copiam as makes que você faz nela! A beleza de IZA ficou INCRÍVEL! Quais produtos que basicamente você utilizou?

Mary Saavedra: “Eu fico feliz de saber isso! Me da mais ânimo para ser mais criativa! Eu sou super minuciosa em todos os detalhes. Eu sempre cuido muito da pele, porque quero que fique incrível, que ninguém perceba a base, que pareça realmente natural pra quem vê. Por isso cuido muito da parte da hidratação da pele. Já com a base eu tenho bastante cuidado com a textura. Por exemplo, nesse trabalho eu usei studio sculp da Mac que sempre me dá o resultado que espero. As maiores mudanças de uma maquiagem pra outra foram no batom, porque aí ganho tempo nas trocas de cabelo. Mas num todo, tentei deixar o mais clean possível, sempre ressaltando a beleza dela. E ah, usei muito grampo! (risos)”

IL: Você é ótima profissional, já trabalha com a IZA praticamente desde o início, como você consegue se reinventar a cada trabalho e clipe?

Mary Saavedra: “É desafiador, porém eu amo! Coisa de “ariana”. Sempre estou pesquisando novas tendências, novos estilos de cabelos e maquiagem, é bom para se inspirar. No caso dos clipes, antes eu sempre tenho que ter uma conversa com a IZA, Bianca (stylist) e Felipe (diretor) para tudo combinar com o tempo do clipe, com os looks, o estilo da Iza e que tenha a ver com cada música e vídeo clipe. Sempre tento criar uma tendência, criar um estilo pra que a Iza se sinta maravilhosa.”

View this post on Instagram

#betheone

A post shared by IZA (@iza) on

É justamente por causa deste trabalho em conjunto que acontece entre toda a equipe que a estética dos clipes da IZA ficam sempre tão perfeitas. Em Let Me Be The One, os looks também são um fator que chama bastante atenção entre os fãs. Bianca Jahara escolhe e decide todos eles a dedo com IZA e tudo tem sempre um propósito. Os looks escolhidos desta vez tiveram um viés sustentável, o objetivo de comunicar o que já é uma necessidade atual: a natureza pede socorro!

Foto: Rodolfo Magalhães.

Para a Revista Glamour, IZA conta que eles criaram peças com materiais reutilizados com a ideia de chamar atenção para a preservação do meio ambiente. Em uma das cenas, IZA aparece usando um corselet feito de saco de lixo (ideia tida pelo próprio diretor, Felipe Sassi). Veja abaixo:

Foto: Rodolfo Magalhães.
Foto: Rodolfo Magalhães.

Os figurinos também possuem tons terrosos com o objetivo de trazer IZA e Maejor com uma conexão maior com a Terra. Os figurinos foram pintados à mão com materiais naturais e os pés descalços de IZA e Maejor dão ainda mais a naturalidade da relação homem/natureza.

Foto: Rodolfo Magalhães.
Foto: Rodolfo Magalhães.

Conversamos também com Tati Nazário, coreógrafa da IZA, para saber como foi o papel dela no meio da obra completa.

IL: A gente sabe que tu estás com IZA ja faz um bom tempo mas sempre existe uma novidade na carreira dela, sempre uma conquista a mais. Como foi dessa vez, pra você, estar envolvida numa campanha da ONU? Como foi quando tu ficou sabendo?

Tati Nazário: “Todo trabalho com a IZA é especial! Quando fui convidada não sabia que era uma campanha da ONU, só soube lá! Quando fiquei sabendo da grandeza desse projeto, da importância dessa campanha, me senti muito especial em ser escolhida e poder fazer isso ao lado de artistas e pessoas tão incríveis. Como boa pisciana, chorei horrores durante todo o processo. Essa campanha leva uma mensagem muito linda e necessária para todos nós!”

IL: Na produção do clipe de Let Me Be The One a gente vê a tua presença nas fotos de divulgação do clipe. Tu esteve como coreógrafa ou bailarina? Chegou a criar coreografia pro clipe?

Tati Nazário: “Sim! Além de atuar como bailarina, também fui convidada pra assinar a coreografia do clipe! Foi minha primeira vez coreografando um clipe a convite da Iza, e está sendo um momento muito especial na minha carreira! Só gratidão pela oportunidade, por unir a dança a um projeto tão importante, e por ter feito tudo isso acontecer acompanhada de bailarinos talentosíssimos!”

Com o surto do novo coronavírus no mundo inteiro, a campanha saiu depois do que deveria, com isso todo o planejamento da campanha teve que ser adiada. Tudo aconteceria no dia 30 de março mas devido à pandemia, foi adiado para o dia 21 de maio. Tivemos uma conversa com Nathália Rosental, Gerente de Social Media da equipe de IZA e responsável por estrategia de divulgação de conteúdo da campanha, sobre como tudo tem acontecido nos bastidores.

Nathália Rosental: “A gente acaba embarcando nas coisas sem perceber realmente o tamanho delas. Sempre que eu pensava que é uma campanha que envolve a ONU, eu pensava sempre na responsabilidade dela [IZA], como deveria pesar para ela. Eu me cobro muito em todos os aspectos, se sai uma vírgula errada, eu fico muito chateada durante muito tempo, pois quero que saia sempre tudo muito perfeito. Quando sentamos para pensar no planejamento geral da campanha, fizemos essa planilha com todos os dias detalhados, todas as ações online e offline, tudo! Depois apresentamos isso pra IZA e daí que eu pensei “Caramba! Eu tô realmente organizando isso.” Aí minha ficha começou a cair, mas acho que só quando tudo tiver saído que a minha ficha vai cair completamente.”

A nossa ficha ainda não caiu! A gente vai precisar ouvir muito Let Me Be The One pra se acostumar com a ideia de que nossa fada ta enorme e nada mais pode parar ela.

23/02/20

A coroa é pesada mas a rainha aguenta! IZA teve sua estreia desfilando pela Imperatriz Leopoldinense e foi um sucesso. Carismática e majestosa, a rainha estava impecável na avenida.

Além do desfile, IZA ainda cedeu entrevista para a Globo logo depois e gravamos tudo pra vocês! Confira o desfile + entrevista abaixo:

11/09/19

Dá para acreditar que a IZA já teve baixa autoestima? Sem nenhum defeito, nosso cristal polido é a inspiração de muitas mulheres como exemplo de beleza real. Mas a cantora, que hoje consegue se olhar com carinho no espelho, contou no “Encontro com a Fátima Bernardes” desta quarta-feira (11) que nem sempre foi assim:

“Já me achei muito feia. Demorei muito para me olhar no espelho com carinho porque eu ficava ouvindo aquilo que os outros me diziam. Hoje estou com o meu cabelo liso e amanhã ele vai ser outro porque tenho essa liberdade e faço o que quiser, mas antes queria seguir um padrão que era imposto a mim. Eu pensava que queria fazer por mim, mas era pelos outros”.

Nossa fada sensata também falou sobre a necessidade de olhar o outro com mais empatia: 

“É muito importante que a gente pense em uma coisa que é muito clichê, mas que é a pura verdade: precisamos nos colocar no lugar do outro e não sair falando o que a gente julga que é importante e que pode ferir o outro”, concluiu.

IZA abriu o programa com uma performance de “Pesadão”, um de seus maiores sucessos. Em seguida cantou pela primeira vez ao vivo na TV o novo hit “Meu talismã” e encerrou as apresentações com a dançante “Brisa”, levantando a plateia.

Assista ao programa completo abaixo abaixo:

27/06/19

Estamos impactados com essa notícia, IZA e o ator Ícaro Silva vão ser as vozes de Nala e Simba no live action de O Rei Leão, da Disney. Caso você ainda não saiba, as vozes originais são da Beyoncé e do Donald Glover. Além de dar voz à personagem, IZA ainda vai cantar no filme.

IZA e Ícaro Silva.

Sobre a trilha sonora do filme, IZA e Ícaro vão cantar o hino “Nesta Noite o Amor Chegou” e o pedido da Disney era de que a versão ficasse fiel à feita originalmente pela Beyoncé e Donald: “Eu tive que ouvir a Beyoncé e imitar os melismas e o jeito de cantar dela” disse IZA em entrevista ao Popline.

View this post on Instagram

#OReiLeão #Nala 🧡 18.07

A post shared by IZA (@iza) on


“Uma amiga estava comigo na gravação e ela colocou a versão da Beyoncé. Eu fiquei muito emocionada, porque estava ouvindo a música de um filme muito especial para mim, emocionada porque a Disney estava fazendo uma nova versão e porque era a voz da Beyoncé”

IZA para o site UOL.

O Rei Leão estreia nos cinemas no dia 18 de julho e a IZA e o Ícaro cantaram um pedacinho de Nesta Noite o Amor chegou só pra convidar todo mundo pra ir ao cinema assistir o filme do ano, assista abaixo:

11/04/19

Se a IZA já é maravilhosa sozinha, junto com a Fernanda Souza, o combo tá feito! Obrigado Multishow por proporcionar mais um encontro dessas duas mulheres incríveis e extremamente divertidas.

Durante o programa, IZA e Fê falaram sobre vaidade, relacionamento, carreira e ainda o tão famoso Bate-bola-jogo-rápido da famosa Marília Gabriela. Assiste tudo aqui embaixo que tá divertidíssimo.

11/04/19

Demorou, mas saiu! Este é oficialmente o post de tudo que sobrou de nós depois do Lollapalooza Brasil 2019. Estivemos no festival para ver de pertinho (de perto mesmo, da grade!) o show da IZA que aconteceu neste domingo (7).

Vale lembrar que não é a primeira vez que IZA sobe ao palco do Lolla, no ano passado ela foi convidada pelo Rincon Sapiência para o lançamento de Ginga que aconteceu basicamente no palco do festival com a primeira live deles juntos. Confira o momento abaixo:

Este ano IZA retornou ao festival com seu primeiro show solo e trazendo a sua turnê Dona de Mim. Foi tudo INCRÍVEL, desde coreografias, figurinos, até as vozes, tudo minimamente trabalhado para funcionar perfeitamente.

Logo antes de subir ao palco, IZA deu entrevistas falando sobre o Lolla, sobre o setlist e sua atual participação no festival:

Abaixo ainda você confere o show completo da IZA no Lollapalooza Brasil 2019 dividido em 2 partes:

PARTE 1:

PARTE 2:

Após o show da IZA no Lolla, nós do IZA LEGION também tivemos lá o nosso momento de fama (risos) e fomos entrevistados pelo Diva Depressão numa live que estava acontecendo no Canal do Multishow no YouTube. Você pode assistir a nossa participação completa dando play abaixo:

27/01/19

Depois do lançamento de Divino Maravilhoso, regravação em parceria da IZA com o Caetano (entenda aqui), os dois já estavam nos devendo uma performance ao vivo, e aconteceu!!! Hoje (26) no Altas Horas, Caetano Veloso foi um dos convidados do programa e levou a IZA para cantar o hino junto com ele.

Foto: Gabryel Sampaio.

Assista a participação completa e rápida (performance + conversa) da IZA no Altas Horas:

21/01/19

O ano mal começou e IZA já esteve em alguns programas de TV, o mais recente até agora foi o Saia Justa, da GNT. Com uma proposta para a temporada, o Saia Justa de Verão, comandado pela Astrid Fontenelle, Pitty, Gaby Amarantos e Mônica Martelli, recebeu a nossa imperatriz já no primeiro programa do ano.

Reprodução: Twitter GNT.

O programa abordou as vivências da IZA, sua infância enquanto criança e adolescente negra e sobre cabelo, produtos de beleza, tudo numa entrevista super descontraída com esse time incrível de mulheres poderosas.

Reprodução: Instagram.

Além da entrevista, IZA ainda soltou a voz no palco do programa e cantou músicas do seu repertório. Assista o programa completo na íntegra abaixo:

06/12/18

Até agora ainda estamos rindo e a culpa é da Tata Werneck. IZA e Anavitória estiveram no programa Lady Night que foi ao ar nesta quarta-feira (5), no Multishow. As participações das convidadas se dividiram a longo do programa que começou com IZA e depois o duo Anavitória apareceu. No final, todas se juntaram para encerrar o programa cantando, foi hilário.

IZA e Anavitória no Lady Night.

Assista na íntegra a participação da IZA no programa dividida em 2 partes.

Parte 1: 

Parte 2:

Confira ainda alguns screenshots do programa que acabaram virando meme de tão engraçados que estavam:

Teve até interação da IZA com a Tatá no Twitter e a gente fica vomitando arco-íris:

 

03/07/18

Com 2 meses de lançamento do novo hinário brasileiro, o amor só aumenta. O Dona de Mim tem tido um desempenho notável para uma artista pop estreante, foi por causa disso que decidimos tentar entender um pouco mais sobre toda a trajetória da criação até chegar ao produto final, desta forma, convidamos os produtores do álbum, os “3 catiorros” (como eles mesmo se chamam): Pablo Bispo, Sérgio Santos e Ruxell, pra responder pra gente algumas perguntinhas e matar nossa curiosidade.

Os três já se envolveram em diversas produções de sucesso atualmente, com artistas como Gloria Groove, Di Ferrero, Aretuza Lovi… a lista é enorme!

Embrazados F.C #iza #pop

A post shared by Pablo Bispo (@pablobispo01) on

 

IL: Pra começar, como é trabalhar com IZA? Como vocês conheceram a fada e como foi a relação de vocês com ela na produção do Dona de Mim?

CATIORROS: “Trabalhar com ela é muito bom, ficamos amarradões pois ela sabe o que quer e isso já facilita bastante as coisas. Ela tem uma energia muito positiva, gosta do mesmo tipo de som que a gente, pra nós é uma honra, um prazer trabalhar com ela, além dela cantar pra caramba, melhor cantora que temos aqui. Então pra gente, trabalhar com uma artista assim, é tipo um sonho maravilhoso! Conheci  ela um pouco antes (Sérgio), porque tiveram algumas reuniões antes dela fechar contrato com a gravadora, foi aqui no estúdio, ela chegou a gravar um cover também e logo depois começou a procura de repertório, e produções, fomos nos unindo pra fazer as músicas. Antes do processo de composição do álbum, tínhamos trabalhado indiretamente. Uma música que tinha beat do Ruxell, masterização  minha e a letra do Pablo, mas depois acabamos entrando todos juntos na procura de identidade para começar o álbum.

Pablo Bispo e IZA em estúdio.

IL: Qual a faixa mais difícil de produzir? Existe alguma que levou mais tempo que o normal pra ser feita?

CATIORROS: Tem música que sai bem mais fácil, e tem música que demoramos um pouco para acertar. Sim, Ginga foi um pouco mais complicada de se fazer, pois estávamos com o disco quase pronto, e como Pesadão estourou, e a galera conheceu a IZA por Pesadão, precisávamos de mais opções pra ser um próximo single, então tínhamos que tomar bastante cuidado, tanto com temática, com abordagem, sonoridade. Fizemos 3 músicas que foi Linha de Frente, Ginga e Corda Bamba, foram as 3 últimas músicas, tanto compostas, como produzidas. Mas Ginga, por ser um próximo single, música de rádio, teve algumas idas e vindas. A letra até “matamos” mais rápido, mas a produção ficamos um pouco na dúvida, então por isso foi a que demorou mais.

 

IL: Enquanto produzem o álbum rola alguma discordância entre vocês? Se sim, como vocês resolvem isso na hora de decidir?

CATIORROS: Sim, claro! Normal, a coisa mais normal do mundo, por isso somos um grupo, às vezes 3 ou 4 pessoas, e confiamos no bom gosto uns dos outros.. Tem coisas que todos já vão direto, mas tem músicas  que discordamos em relação a produção, a levada, BPM, letra, por estarmos em grupo, fazemos votação e se maioria gostar, a minoria vai saber que será algo melhor, pois confiamos muito no trabalho um do outro.

Os Catiorros em estúdio.

IL: Quais as influências musicais que vocês possuem e quais destas influências vocês trouxeram para o álbum?

CATIORROS: Gostamos de tudo na verdade, desde música popularzona, funk, pagode, axé das antigas, até coisas mais poéticas, de Djavan à Gil, gostamos de música boa!  E conseguimos levar de tudo que a gente gosta para o disco. Abrangemos uma gama de estilos bem grandes, se for separar por estilos, tem reggae com trap, reggae com trap ainda mais pesado, tem ragga, tem coisas mais afro, tem reggaeton, samba com trap, balada e violão. Conseguimos transitar em tudo, em quase todas as influências que temos, que obviamente faziam sentido na concepção do álbum da IZA, para não parecer uma salada de frutas. Apesar de todas as músicas terem suas características, o disco tem sua sonoridade e sua identidade. E esse foi o maior desafio, que era como fazer tudo e não parecer uma salada de frutas. E deu certo!

IL: Vimos que um dos compositores de “Você Não Vive Sem” é Ronaldinho Gaúcho, como a música chegou até vocês e a IZA?

CATIORROS: Essa é uma das curiosidades da ficha técnica, o Pablo já tinha trabalhado com o Ronaldinho em outras composições, tem uma galera que sempre compõe junto e as músicas ficam lá até alguém ouvir e dizer “essa música cabe pra tal artista”. E foi através do Jhama (que também é um dos compositores da música), que nos mostrou a música e a gente gostou bastante, no final a música entrou.

 

IL: O Dona de Mim tem tido muitas críticas positivas, não só de especialistas, mas principalmente dos fãs. Vocês esperavam? E como lidam com as críticas negativas?

CATIORROS: Graças a Deus, estamos muito felizes, que a crítica está gostando, tanto os fãs como as pessoas que escrevem sobre o assunto, a galera do meio musical, temos tido um feedback bem positivo. E não é querer parecer rude nem nada, mas meio que já esperávamos, tinha realmente uma expectativa em cima do disco da IZA, porque ela era uma artista que estava despontando, com um puta potencial e precisava dar esse passo a mais na carreira, e era justamente o álbum que faria isso, e estamos cumprindo os objetivos. E não vimos nenhuma crítica negativa ainda, algumas pessoas não gostam de tal música, ou de tal estilo, mas a pessoa tem o direito de não curtir. Pra nós é normal, isso acontece em qualquer disco, mas uma resenha crítica negativa não chegou até nós.

 

IL: Qual a faixa favorita de cada um de vocês?

CATIORROS: Sérgio: LADO B | Ruxell: Pesadão | Pablo Bispo: Linha de Frente.

 

IL: Foi fácil entender a proposta que a IZA queria trazer para álbum? Como funciona esse processo de tentar entender a visão do artista pra poder criar com ele?

CATIORROS: IZA sabe muito bem o que ela quer e o que ela não quer também, então isso é algo que construímos juntos. Também existe a opinião da gravadora, existe uma galera que trata a parte artística e decide junto quais caminhos a seguir. Pra nós é um trabalho muito natural, acreditamos que todo compositor e produtor deveria fazer isso com o artista, ao invés de sair mandando música, para que no final as músicas não corram o risco de serem rejeitadas. Como é um processo que construímos juntos, descobrimos quais mensagens queremos mandar, os temas que iremos abordar e também a sonoridade. O que facilita é o fazer junto.

IZA e Sérgio Santos em estúdio.

IL: No processo de produção do álbum, a gente imagina que muitos outros materiais são produzidos mas acabam sendo descartados. Como ocorre essa decisão do que sai e do que entra no álbum? No Dona de Mim houve muita música que não entrou?

CATIORROS: Existem algumas músicas que chegamos a produzir mas que por algum motivo caíram. No processo de produção do disco, principalmente pra um artista novo como a IZA, onde a música pode chegar na rádio e na TV a gente precisa ter muita atenção com os temas que iremos abordar, com quais bandeiras vamos levantar e como fazer tudo isso de uma maneira que fique legal. Então é normal a tentativa e o erro, existe material descartado por não ter se encaixado no conceito, há um processo de refinamento que é discutido entre todos da equipe.